Quem é que viu?

Ontem me sentei na frente da tv e fiquei das 7h às 11h assistindo o WCT (o recém nascido WT virou WCT de novo) direto do postinho na Barra da Tijuca, RJ.

Chamou a atenção a vitória tranquila do guri hawaiano. Extremamente habilidoso, John John Florence era “chega e dali”, desde o início das baterias. Tratava logo de entubar e mandar aéreos (era o que mais estava pontuando nas curtas porém cavadas e rápidas ondas cariocas) para o lado que a onda o empurrasse. Na final contra o falastrão e arrogante Joel Parkinson (tudo bem que ele tenha uma das linhas mais bonitas do tour) o hawaiano resolveu a parada logo nos primeiros cinco minutos, mandando o australiano para a Kombi sem o menor constrangimento. Joel ficou tão sem graça que só conseguiu desembarcar do vexame há poucos minutos do final. Daí já era tarde, JJF, com jeito humilde e despretencioso, abriu um largo sorriso e comemorou sua primeira vitória no circuíto.

Inevitável a comparação com nossa jovem reveleção Gabriel Medina que na semana passada atropelou todo mundo no QS prime de Tresstles, Cal. O hawaiano parece mais pronto, mais focado nos momentos de maior pressão. Talvés seja pela escola que frequentou, o bairro onde mora coisa e tal … mas o paulista de Maresias vai chegar junto de novo com certeza. Não é do nada que se ganha duas etapas no semestre de estréia (2011/2) do circuíto mundial, sem falar no quinto lugar no Pipemaster Banzai no final do ano passado, sendo que antes das baterias ele nunca havia surfado no pico! Vai ser bonito de ver daqui pra frente quem vai surfar mais no dream tour que já tem novo embate previsto para as poderosas esquerdas de Cloudbreak.

Abraços,
Totonho

Surf das Antigas

Em breve, mais um site Megasurf.

Em contrução!